Gestão de Pessoas é um conjunto de técnicas que busca a otimização do capital humano nas organizações. Suas práticas envolvem retenção, motivação e capacitação do funcionário, visando a melhora de seu desempenho e o da instituição.

Por conta disso, é muito importante incorporar a Gestão de Pessoas como um norte do setor de Recursos Humanos (RH) de uma empresa. Ela será capaz de criar ações que estimulem o progresso e engajem as pessoas e, com isso, o retorno para a empresa será redobrado em disposição e afinco para atingir melhores resultados.

Uma pesquisa realizada pela Endeavor, mostra que uma das maiores dificuldades entre empreendedores, líderes e grandes corporações, estão na gestão de pessoas. Afinal, pessoas precisam ser valorizadas para obterem o máximo.

Neste artigo, iremos trazer os principais conceitos e pilares da Gestão de Pessoas. Leia até o final e entenda um pouco mais sobre esse tema tão importante para as empresas.

Conceitos de Gestão de Pessoas

A Gestão de Pessoas é uma série de metodologias e práticas aplicadas, que tem o objetivo de gerir o comportamento dos funcionários de uma instituição. Para isso, são utilizadas técnicas que auxiliam no desenvolvimento do capital humano.

Apesar da disseminação e necessidade em tempos recentes, tais como cursos de gestão de pessoas, tal prática ainda é confundida com uma atividade restrita ao setor de recursos humanos.

Ao adotar as boas práticas em Gestão de Pessoas, uma empresa garante a satisfação dos seus funcionários, além da otimização da produtividade. Isso, consequentemente, leva a um crescimento saudável da instituição.

Qual a diferença entre Gestão de Pessoas e Gestão de RH?

Agora que já sabemos o conceito de gestão de pessoas, precisamos entender o exatamente é gestão de RH.

A Gestão de RH é uma área estratégica em empresas. Em poucas palavras, é a necessidade de valorização dos funcionários. A principal missão é alinhar o propósito da organização e do colaborador para que alcancem os seus objetivos e mantenham uma relação trabalhista vantajosa e saudável.

A Gestão de RH surgiu na década de 90 com o acompanhamento por analises de perfis. Entender o comportamento durante uma entrevista de contratação contribui drasticamente na retenção e redução de turnover. Nessa mesma época, surge o conceito de que funcionários que se sentem bem na organização produzem mais e melhor.

Basicamente, a correlação de tarefas alinhadas a gestão de RH são:

  • Seleção e recrutamento;
  • Onboarding: integração e treinamento de funcionários;
  • Acompanhamento de comportamentos internos;
  • Estímulos com premiações e bônus;
  • Avaliação de desempenho;
  • Criação e planejamento do plano de carreira;

Qual a diferença entre Gestão de Pessoas e Departamento Pessoal?

A função de um departamento pessoal está ligado diretamente aos setores burocráticos e trabalhistas da empresa. Conhecida comumente como DP, é responsável por obter as documentações dos colaboradores e manterem atualizados.

Além disso, é responsável também por:

  • Documentação durante a admissão e demissão;
  • Registro de carteira de trabalho;
  • Folha de pagamentos e benefícios como vale refeição, vale transporte etc;
  • Jornada de ponto (horário de trabalho);
  • Cálculos trabalhistas;
  • Descontos legais: INSS, IRRF, contribuição sindical, optativos, faltas, prejuízos causados por dolo ou culpa;
  • Previdência social: cálculo do salário maternidade, cálculo do salário família, cálculo do auxílio doença etc;
  • Encargos sociais: INSS, IRRF, FGTS.

Pilares da Gestão de Pessoas

A Gestão de Pessoas envolve diversas ações cujo foco é melhorar o ambiente de trabalho e aumentar o bem-estar do colaborador. Mas, para que a metodologia da Gestão de Pessoas seja eficiente, é preciso considerar cinco pilares principais. São eles:

1. Motivação:

É fundamental para uma Gestão de Pessoas de qualidade. Ela é o que move os colaboradores a darem o melhor de si todos os dias.

Sendo assim, quando um time está desmotivado, é necessário identificar o que está causando isso, para que a situação se reverta, antes que os colaboradores busquem vagas em outro lugar.

Um Clube de Benefícios e incentivos financeiros são bons exemplos de como se pode motivar os funcionários.

2. Comunicação:

A comunicação é a base para gerar bons resultados e para que tudo ande bem nas empresas. Uma comunicação transparente, objetiva e sem hierarquias estimula os funcionários e faz com que se sintam uma parte fundamental da instituição.

Sem diálogo, as informações se perdem, abrindo precedentes para desentendimentos e interpretações erradas.

3. Trabalho em equipe:

Saber como trabalhar em equipe é um excelente diferencial, e a Gestão de Pessoas precisa criar um ambiente propício e usar ferramentas para incentivar essa prática. É preciso encorajar o espírito de colaboração, para reduzir conflitos e engajar os funcionários para alcançar o pleno desenvolvimento da organização.

Entre as práticas de gestão de pessoas mais assertivas, está a dinâmica de grupo. Ela pode ser feita de uma forma leve e descontraída para enfatizar o companheirismo e gerar empatia entre os colegas de trabalho. 

A dinâmica de grupo ajuda reforçar a criatividade dos colaboradores, melhorar o engajamento e a motivação (e o clima organizacional) e até mesmo gerar mais assertividade aos seus processos seletivos. Afinal, são atividades que simulam as ações e reações das pessoas em situações similares, do dia a dia, permitindo uma análise mais completa sobre os profissionais.

4. Conhecimento e competência:

A gestão de competências consiste em identificar perfis profissionais e integrá-los na empresa da melhor forma possível. 

Todo o conhecimento técnico deve ser ensinado para os colaboradores e suas competências, desenvolvidas. As possibilidades de crescer e de aprender são fundamentais para manter os funcionários motivados.

5. Capacitação, treinamento e desenvolvimento (T&D):

Deve ser feito após a identificação de lacunas que possam impedir os colaboradores de alcançar seus potenciais. É uma forma de troca, onde a instituição incentiva a busca por conhecimento para que, posteriormente, o funcionário aplique no trabalho.

Sentir-se valorizado em seu local de trabalho é um dos fatores que mais aumenta a experiência e qualidade de vida do funcionário. Também, é uma excelente oportunidade para conversar com os funcionários e entender o que eles gostariam de aprender e se aprimorar. 

Como aplicar na prática a gestão de pessoas na empresa?

O primeiro passo para aplicar a gestão de pessoas está na criação de um setor específico. Pode, inclusive, ser uma equipe pequena para cuidar das questões pertinentes à função. Esse setor será responsável por criar estratégias de estímulos à participações em prol do capital humano nas empresas, incluindo benchmark do mercado e conscientizando a alta gestão da importância desse processo para a organização.

Gestão de pessoas - pilares
Gestão de pessoas – pilares

Após esse primeiro momento, será possível criar ações para manter ou melhorar o clima organizacional e também zelar pelos pilares da gestão de pessoas.

Relacionamos abaixo, práticas que devem ser consideradas para você melhorar sua gestão de desempenho:

  1. Metas e competências
  2. Reuniões de feedback
  3. Reconhecimento social
  4. Performance e remuneração
  5. Recompensas e benefícios
  6. Retenção de talentos
  7. Revisar remuneração e bonificação
  8. Planos de carreira personalizados
  9. Atualização com tecnologias
  10. Preparar-se para as novas gerações Home-Office

O que mensurar na gestão de pessoas nas organizações?

Ainda na definição e estruturação da área, é preciso ensejar os indicadores necessários para mensuração semanal.

Os indicadores ajudam a descrever e compilar as atuais condições de trabalho, índice de satisfação e engajamento de todos. Além, claro, de instrumentos de análise para estas condições.

Por isso, os indicadores de RH podem ser considerados determinantes para as futuras ações da empresa. Os principais indicadores são:

  1. Avaliação de desempenho
  2. Índice de Rotatividade ou Turnover
  3. Índice de retenção de talentos
  4. Taxa de absenteísmo
  5. Satisfação com clima organizacional
  6. Tempo médio de empresa
  7. Custos de rotatividade
  8. Produtividade (satisfação interna dos colaboradores)
  9. Índice de reclamações trabalhistas
  10. Relação horas extras e horas trabalhadas

Este artigo tirou suas dúvidas? Compartilhe conosco o que você achou!

Somos a primeira plataforma que une clube de benefícios, incentivos e people analytics. Visite o site da Habaut e experimente a transformação estratégica gratuitamente.

Nosso foco está em Premiações e Incentivo para metas, Onboarding Experience, Análise Comportamental, Clima Organizacional e de Engajamento, Pesquisa de Satisfação, Employee Experience, People Analytics e Comunicação interna.