Com o crescente desenvolvimento da tecnologia no mercado, podemos perceber claramente o quanto mudou as formas de conduzir atividades em uma empresa. Se tratando da demissão e desligamento, não é diferente.

Para se adequar às necessidades da crise causada pelo novo coronavírus (Covid-19), notamos uma crescente mudança administrativa nos setores internos, fazendo com que diversas etapas passassem para o meio virtual. E hoje, temos conhecido a modalidade demissão remota.

Em geral, sabemos que o processo de desligamento de um funcionário é um momento delicado para a empresa, visando que mexe com estruturas emocionais do colaborador. Sendo assim, a demissão remota também precisa se atentar a esses pontos, pois o processo de empatia e valorização do funcionário continua sendo uma das missões e valores de uma empresa ativa no mercado.

Ebook - Como demitir remotamente

Quer saber mais sobre o assunto? Então, confira o nosso post até o final e veja 4 processos de demissão remota que você precisa integrar nesse método.

1. Humanize o desligamento

Antes de tudo, investir na humanização remota é essencial para a empresa. Isso porque esse processo não apenas mostra aos colaboradores, mas também à sociedade que a sua marca não é insensível no processo de desligamento. Quando não existe tato no processo de demissão, a empresa pode ser prejudicada em diversos quesitos, especialmente no financeiro.

Sabemos que uma má reputação no mercado é um passo a menos para a competitividade, já que a falta de humanização em qualquer processo empresarial influencia negativamente na imagem da marca.

Portanto, mesmo que seja uma demissão de forma remota, ela não precisa ser fria e mecânica. Caso a conversa seja realizada por vídeo, o processo de troca de informações fica ainda melhor, já o momento do desligamento precisa ser uma etapa transparente e que venha acompanhada com feedbacks.

2. Integre a demissão remota com o RH

Quando entramos em cenários de crises — como é o caso vivenciado pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) — o GRH acaba tendo que lidar com uma quantidade massiva de demissões, dependendo do porte da empresa. Então, se estamos falando do corte de funcionários, isso significa falar com dezenas de pessoas, de setores diferentes.

Com isso, entendemos que esse processo exige uma organização extrema, a fim de agregar as boas práticas e eliminar pequenos gargalos.

O processo de Gestão de Pessoas deve ser totalmente alinhado tanto aos gestores de todas as equipes existentes, quanto ao próprio Departamento Pessoal, já que é o setor da empresa responsável por conduzir toda a papelada do desligamento.

Uma dica prática para melhorar essa integração é atribuir tarefas a cada integrante do RH para esse processo. Fazendo isso, suas demandas não vão confundir, e a equipe garantirá uma sincronia ainda melhor.

3. Ofereça transparência

A transparência na comunicação é uma questão crucial para realizar um desligamento remoto da melhor forma. Como bem sabemos, quando acontecem os períodos de desligamento na empresa, esses momentos podem ser marcados por suposições equivocadas, e pior: tendem a ser disseminadas entre os funcionários.

Quando isso ocorre e não existe o devido esclarecimento acerca das circunstâncias, a empresa pode acabar perdendo a sua posição discursiva, e além de tudo, ter a sua imagem totalmente prejudicada no mercado.

De forma prática, pode ser necessário que os comunicados feitos estejam relacionados ao executivo, oferecendo a quantidade necessária de informações. Esse momento é importante para explicar ao colaborador a situação atual da crise e mostrar que a empresa se lamenta pelo ocorrido.

4. Não se esqueça do feedback de performance

Se for um desligamento massivo pela empresa, um dica é fornecer feedback positivo ao colaborador em desligamento. Não podemos esquecer, jamais que, antes mesmo de ser um mero colaborador, há um ser humano acima de tudo e devemos, por lei, ajudar ao próximo relacionando à saúde mental.

Já sob o olhar de uma demissão pontual, fornecer um feedback honesto, é uma das atitudes que você pode tomar durante a demissão remota. O feedback ajudará a reduzir os sentimentos negativos e poderá ajuda-lo a suprir tais expectativas no futuro.

Lembre-se sempre que um feedback de desligamento precisa ser sutil e jamais inóspito.

Em casos assim, durante a conversa de desligamento por parte dos gestores, podem separar um momento do processo para mostrar boas perspectivas do trabalho se seus funcionários.

De acordo com as melhores práticas de grandes empresas, preparamos um ebook para que você saiba como aplicar passo-a-passo um feedback na sua equipe. Clique aqui para baixar o ebook.

Esse momento vai ressaltar o valor de cada colaborador e servirá como um tipo de agradecimento pela prestação de serviços do funcionário ao longo de sua trajetória na empresa. Sem contar que as ferramentas de feedback acabam se tornando essenciais para desenvolvimento pessoal, ressaltando os pontos positivos de cada funcionário, e até mesmo aqueles destacados em entrevistas de recolocação.

Ebook - Como demitir remotamente

Esses tipos de feedbacks, especialmente em um processo de demissão tão delicada — como é o que ocorre em meio à crise — podem acabar ajudando até mesmo na autoconfiança do profissional, mostrando que o motivo do desligamento acabou não sendo feito por questões de postura profissional, mas sim por outros processos acima de seu cargo, por exemplo.

Conclusão

Gostou das dicas? Agora que você já sabe as principais dicas para tornar as demissões remotas de sua empresa de forma ainda mais eficiente, que tal conhecer os nossos serviços? Acesse agora mesmo o nosso site e saiba como ajudar o seu time de demissão a se adequar ao meio moderno de forma humanizada e intuitiva.