Antes de tudo, sabemos que o principal objetivo de uma empresa no mercado é gerar competitividade. Nesse ponto, é crucial entender que, para que isso seja possível, é necessário avaliar os processos internos, identificar erros e encontrar as devidas soluções.

Sendo assim, o RH, junto ao Design Thinking, oferece um papel fundamental na construção da identidade e cultura da empresa, uma vez que a produção está diretamente relacionada ao bem-estar físico e psicológico dos colaboradores mediante ao clima organizacional e engajamento da empresa.

Quer saber mais sobre os benefícios da integração do Design Thinking no RH? Então, confira o nosso post até o final e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto.

Design Thinking: o que é?

Em geral, podemos definir que o design thinking como um termo comumente utilizado para conceituar o processo de pensamento criativo e crítico, fazendo com que as empresas consigam gerar ideias para estimular a tomada de decisão e a busca por novas ideias. Por isso, o design thinking não se trata de uma ferramenta, já que pode ser definida como uma simples forma de abordagem.

Design Thinking: o que é?

Em resumo, essa abordagem oferece condições para que o empreendimento consiga criar soluções práticas, sustentáveis e inteligentes, independente do setor da empresa. Quando as ideias para a resolução de um problema são geradas, fica a critério do executor ou equipe responsável pelo processo examinar as melhores ideias para serem executadas.

Contudo, é importante ressaltar que suas aplicações podem ser variadas, sobretudo pelo tipo de demanda existente a ser enfrentada pelo negócio.

De forma geral, é bastante comum encontrarmos colaboradores, gestores ou quaisquer outros superiores imediatos de um determinado setor utilizando a abordagem do design thinking para solucionar problemas de diversas naturezas e magnitudes relacionadas a seu departamento.

Assim, com as diferentes perspectivas demandadas, pode ser possível obter um entendimento ainda melhor acerca de um problema.

Design Thinking no RH: qual é o conceito dessa junção?

Agora que sabemos o conceito do design thinking e os seus métodos, fica mais fácil entender a sua definição quando integrada aos processos relacionados ao setor de Recursos Humanos. Já que o foco do design thinking é promover ações que fogem das metodologias tradicionais, podemos dizer que a sua integração no RH significa inovar.

Em geral, sabemos que o RH de uma empresa é um setor estratégico, ou estão em busca de ser a área mais desejada da empresa por lidar diretamente com todos os colaboradores.

Por esse motivo, utilizar o design thinking no RH auxiliará em agir de maneira inovadora, prática, com rápidos testes e, principalmente, ampliar como um setor estratégico em todas as suas ações. Empresas que já iniciaram essa metodologia, com certeza eleva o nível das atividades internas.

Sendo assim, o foco do RH com o apoio do design thinking é justamente potencializar a cultura interna da empresa, fazendo os colaboradores serem mais engajados e produtivos em suas atividades. Além disso, também otimiza processos, melhora a empatia entre os funcionários e, principalmente, oferece um aumento eficiente na qualidade do trabalho.

Porque adotar Design Thinking no RH

Porque adotar Design Thinking no RH

Segundo análise do relatório Future of RH 2020, publicado pela KPMG em 2019, 46% dos grandes líderes de RH já estão utilizando o design thinking para otimizar eficiência e agregando valor à empresa.

A metodologia do design thinking deve estar presente em todas as áreas do RH, desde explorar mais a fundo as expectativas dos candidatos, gestores e colaboradores, como também melhoria continua da cultura e geração de novas experiências.

Nesta linha, a empresa eleva seus níveis de engajamento, aumenta a capacidade de atração e retenção de talentos e ainda garante o melhor desempenho de seu capital humano.

Etapas na prática do Design Thinking no RH

De forma prática, agora podemos entender como são as etapas de integração do Design Thinking no RH.

Etapas na prática do Design Thinking no RH

Confira abaixo quais são elas:

1. Imersão

A primeira etapa do design thinking, também conhecida como imersão, é definida como o processo do conhecimento. Nesse momento, a equipe do setor deve mergulhar nos problemas comuns, identificá-los e analisá-los por diversos ângulos.

Já que o foco são os colaboradores, essa equipe irá se colocar no lugar dos funcionários, fazer análises comportamentais, e entender suas principais dores e necessidades frente a suas atividades e ao ambiente onde eles se encontram.

2. Análise

Depois de coletar todos os dados e informações importantes acerca do problema pautado, está na hora de analisá-las e encontrar formas de sintetizar essas informações, sempre levando em consideração o contexto atual no qual a empresa está passando. É exatamente neste momento que surge a elaboração de planos para a resolução dos problemas que foram levantados.

3. Idealização

Analisando as etapas anteriores até aqui, podemos perceber que o foco estava no adentramento do universo da empresa, a fim de avaliar os processos operacionais dos colaboradores e a forma em que o ambiente os influenciava.

É a partir dessa visão onde se pode chegar à formulação de ideias inovadores que realmente são propensas a solucionar os problemas analisados. Entenda que, a etapa de idealização nada mais é do que a fase de realização de um brainstorm com referência às possíveis soluções.

4. Prototipagem

Essa fase será destinada aos processos para a criação de um protótipo inicial, cujo objetivo está na validação das sugestões e soluções criadas na parte do brainstorming. Assim, a parte de prototipagem é uma excelente forma de verificar se o percurso tem todo o potencial para chegar até o problema proposto e oferecer a solução esperada.

5. Teste

Sendo considerada a última etapa do design thinking, a fase de teste tem como principal objetivo aplicar todas as ideias apresentadas no momento.

Por esse motivo, essa fase é de suma importância para a consolidação do design thinking e das novas propostas organizacionais, já que busca verificar se realmente o projeto atendeu a todas as necessidades reais da empresa, e se não teve nenhum fator que deveria ter sido previamente pesquisado.

Na prática, solução criada precisa ser aplicada no dia a dia organizacional, e de forma colaborativa para não perder o objetivo de todo o projeto. Além disso, ela também precisa ser analisada por um período estabelecido pela equipe do RH.

Design Thinking pensamento

Caso haja um retorno positivo na execução dos projetos, então a solução já pode ser implementada de forma efetiva na empresa.

Conclusão

Conforme vimos, o design thinking oferece diversas formas para melhorar a cultura interna da empresa e a relação dos colaboradores com o ambiente organizacional, quando inserida no setor de Recursos Humanos.

Como bem sabemos, para que um negócio consiga se manter estável no mercado, é necessário que todos os colaboradores se mantenham estáveis em seus postos de trabalho, submetidos a um ambiente psicológico e fisicamente agradável para suas atividades. É nesse ponto onde o Design Thinking atua, quando está integrado ao RH.

Então, aproveite para colocar as etapas em prática e inovar seus processos

Agora que você já sabe tudo sobre o design thinking no setor de Recursos Humanos, que tal conhecer os nossos serviços? Acesse agora mesmo o nosso site, fale com um especialista e saiba como podemos ajudar sua empresa a se desenvolver muito mais.