Entre os termos mais utilizados na área de gestão de recursos humanos, existem dois usados para definir as aptidões dos profissionais de uma empresa e separá-los em categorias. Ao longo desse artigo, falaremos dos pontos de diferença de hard e soft skills.

Para as empresas, é excelente contar com um colaborador que tenha uma performance desenvolvida. No entanto, sabemos que as habilidades necessárias para compor um bom profissional são diversas e que um bom profissional é aquele que traz resultados positivos e participa do sucesso empresarial.

Essas habilidades, no entanto, são provenientes de áreas distintas e são medidas por com base em soft skills e hard skills. A partir dessas categorias, a empresa consegue promover uma melhor avaliação das características dos profissionais, bem como das suas atuações.

Definições de hard skills e soft skills

Com o passar do tempo, esses dois termos passaram a ser utilizados por mais empresas brasileiras e se popularizaram. Provenientes de recrutadores americanos, eles se tornaram base para as avaliações de colaboradores.

Levando em consideração os seus significados, eles servem para especificar as habilidades dos profissionais tomando como base as técnicas e os comportamentos adotados por eles diante das situações diárias. Dessa forma, é importante entender a diferença de hard e soft skills.

Primeiramente, vale destacar que as soft skills se são as habilidades comportamentais dos profissionais. Sendo assim, relacionam-se com a forma social que esse profissional adota. Além disso, aborda as habilidades mentais e as capacidades com que estes lidam com suas emoções.

Definições de hard skills e soft skills

Conforme o destacado, essas habilidades são muito complexas no que se refere a possíveis medidas. Isso ocorre uma vez que elas tratam a respeito de um somatório de tudo o que um determinado indivíduo vivencia no seu meio psicossocial. Portanto, elas podem estar diretamente ligadas às capacidades inatas das pessoas.

Dessa forma, um profissional que apresente estas habilidades de forma forte, pode se prejudicar em decorrência delas. Isso porque apesar de ter hard skills desenvolvidas. esse profissional não desenvolve uma boa relação com os colegas, visto que essa capacidade está ligada às soft skills.

Não olhe apenas para hard skills

Um fato que devemos levar em consideração é que profissionais muitas vezes são contratados pelos seus hard skills. No entanto, em razão da falta de seus soft skills em suas funções, esse mesmo colaborador poderá ser desligado.

Em decorrência disso, em um processo seletivo é preciso que estes pontos sejam avaliados. Nesse caso, são adotados alguns testes, como os comportamentais e psicológicos. Por meio dessas dinâmicas, é mostrada a diferença hard e soft skills de cada profissional.

É possível afirmar que as hard skills se diferem por serem as habilidades técnicas de cada profissional. Portanto, elas são um ponto considerado em primeiro lugar em muitas entrevistas de emprego. Estas, no entanto, podem ser aprendidas facilmente pelos profissionais.

Isso ocorre porque esse tipo de conhecimento se assemelha à forma como aprendemos na escola ou na faculdade. Logo, seria um conhecimento técnico, que se baseia em conteúdos claros e específicos. Assim, as hard skills podem ser adquiridas ao longo do processo, em treinamentos e na execução de tarefas.

Diferença hard e soft skills

Em poucas palavras, hard skills estão envolvidas em um contínuo processo de aprendizado e evolução.

Já as soft skills estão cada vez mais valorizadas, as habilidades sócio comportamentais dos colaboradores favorecem um ambiente de trabalho mais sadio e eficiente.

Como avaliar hard e soft skills

Em meio aos testes, os recrutadores costumam levar pontos específicos em consideração. Entre os mais apreciados no que se refere às soft skills estão a comunicação interpessoal, a proatividade e a persuasão.

Porém, não são somente esses aspectos que pesam durante um teste, visto que uma gama de critérios será abordada. Assim questões como a organização e a criatividade se encontram entre as mais procuradas nos profissionais em qualquer que seja a área.

Como se trata de uma avaliação mais comportamental do profissional, o recrutador ressaltará pontos muito fortes. Dessa maneira, apontamos que em muitos casos a falta de comunicação e de um bom relacionamento pode ser prejudicial e motivo para o desligamento de um determinado colaborador.

Diferença hard e soft skills: como avaliar?

Dessa forma, um bom profissional para se adequar ao dia a dia de uma empresa, deverá demonstrar uma boa comunicação. Então, é comum que as empresas busquem por bons líderes para seus departamentos. Sendo assim, uma soft skill acaba sendo considerada na escolha.

Por outro lado, na avaliação técnica a respeito das hard skills, o recrutador leva outros critérios em consideração. Nesse caso, são pontos aprendidos por meio de cursos, de estudos e na prática de trabalhos anteriores do profissional.

Logo, podemos apontar que entre as hard skills de um profissional estão pontos adquiridos, como domínio de línguas estrangeiras, operação de máquinas, programação, entre outros. Aqui, será levado em consideração o que o profissional pode executar na empresa.

Dessa forma, podemos concluir que a avalição da diferença hard e soft skills é facilmente notada. Por mais que estas habilidades sejam distintas, a associação de ambas fará a diferença na atuação do profissional.

Isso ocorre uma vez que as hard skills, por mais desenvolvidas que sejam, não suprem todas as necessidades. É preciso que o profissional conte com alguns pontos de soft skills para se manter no trabalho.

Exigências maiores para soft skills

Em razão de tantas mudanças no mercado, as exigências quanto às competências estão cada vez maiores. Dessa forma, as soft skills são cada vez mais valorizadas, ressaltando a importância da busca por profissionais que tenham essas características.

Isso se deve ao fato de que o impacto para as empresas, ao darem destaque a esses profissionais, será grande. Estes profissionais vão influenciar diretamente em vários aspectos, como no clima organizacional, na gestão de projetos e nas estratégias eficientes.

Podemos apontar que a falta dessas habilidades pode trazer problemas entre subordinados e líderes, por exemplo. De encontro a isso, vale citar que esse relacionamento pode se tornar impossível e insustentável com o tempo.

Destacamos, no entanto, que por mais que as soft skills estejam sendo buscadas cada vez mais, é necessária uma associação. Isso ocorre porque a falta das hard skills poderá trazer problemas para o profissional a longo prazo.

Essas habilidades são essenciais para o desempenho do trabalho em si. Então, caso o profissional falhe em sua atuação, os problemas operacionais certamente vão surgir. Dessa forma, se faz necessário que haja um equilíbrio entre soft e hard skills.

No entanto, vale destacar, que a busca por profissionais com soft skills se tornou maior por aspectos específicos. Pontuamos que esse tipo de habilidade dificilmente é aprendido. Sendo assim, o profissional deverá carregá-las consigo, podendo desenvolver suas hard skills no processo.

Aqui, a diferença hard e soft skills deve ser considerada como parte da avaliação para trazer o equilibro necessário. Dessa forma, o recrutador conseguirá preencher a vaga de forma adequada, reafirmando os aspectos primordiais de um profissional.

Levando isso em consideração, se torna mais viável para a empresa manter profissionais adequados e competentes em ambas as habilidades, visto que os departamentos de recursos humanos possuem as ferramentas necessárias para desenvolver e avaliar essas habilidades.

Como as duas habilidades são importantes para o desenvolvimento do trabalho, a empresa poderá incentivá-las, por meio de palestras e treinamentos. A adoção de programas de capacitação e cursos de especialização também é um ponto a se considerar.

Deep skills: o poder da mudança

As deep skills podem ser entendidas como as atitudes e as habilidades pessoais dos colaboradores que são responsáveis pela criação de motivação pessoal.

Conheça também sobre deep skills e veja como a mudança tecnológica tem afetado o modelo comportamental e como os conhecimentos específicos estão sofrendo constantes alterações. Clique aqui e continue lendo.

Deep skills: o poder da mudança