Quem lida com gerenciamento de pessoas está acostumado com conceitos como, hard skills e soft skills. Entretanto, o constante avanço tecnológico e da mudança de processos empresariais trouxeram à tona um novo conjunto de habilidades: as deep skills.

No atual cenário de acelerada mudança tecnológica, os conhecimentos específicos estão sofrendo constantes alterações. Por isso, as hard skills estão envolvidas em um contínuo processo de aprendizado e evolução.

Já as soft skills estão cada vez mais valorizadas, as habilidades sócio comportamentais dos colaboradores favorecem um ambiente de trabalho mais sadio e eficiente.

Assim como as hard skills, as soft skills também precisam ser desenvolvidas constantemente. Nesse caso, surgem as deep skills. Elas estão ligadas a criação de motivação para o constante desenvolvimento pessoal e profissional.

O que são Deep Skills?

As deep skills podem ser entendidas como as atitudes e as habilidades pessoais dos colaboradores que são responsáveis pela criação de motivação pessoal.

Dessa forma, as deep skills são essenciais para o desenvolvimento das demais habilidades. De nada adianta possuir diversos conhecimentos técnicos e qualidades interpessoais, se não conseguirmos encontrar estímulos para continuar o desenvolvimento pessoal e profissional.

O que são Deep Skills?

As deep skills, além de estarem ligadas a motivação, também estão relacionadas com a rapidez para se aprender novas habilidades e aperfeiçoar os conhecimentos já existentes.

É preciso prestar atenção em um detalhe: as deep skills são parecidas com as soft skills, já que as duas envolvem características empíricas do indivíduo.

Com isso, é comum que as características de ambas se intercambiam. Transformando as soft skills em deep skills dependendo da análise feita de cada um dos colaboradores.

Exemplos de Deep Skills

As deep skills estão ligadas ao sentimento de felicidade que o colaborador sente ao trabalhar. Se ele está feliz, ele se sente motivado para desenvolver suas habilidades e crescer na carreira.

Sendo assim, algumas das deep skills são:

  • Autoconfiança: sentimento de convicção de que a pessoa é capaz de realizar as ações necessárias.
  • Autoestima: opinião, negativa ou positiva, que os indivíduos têm de si mesmo.
  • Ética: respeito às normas e conjuntos morais em voga de determinado grupo.
  • Honestidade: característica de caráter positivo, como franqueza, integridade e veracidade.
  • Felicidade: sentimento de bem-estar e satisfação.
  • Compaixão: sentimento de simpatia em relação aos problemas de outras pessoas.

Diferença entre Hard X Soft X Deep skills

As deep skills podem ser explicadas como as habilidades necessárias para multiplicar o desenvolvimento e o rendimento profissional, ao mesmo tempo, em que ajuda os colaboradores a encontrar a felicidade.

Desse modo, as deep skills ajudam na criação de um ambiente de trabalho mais saudável. Sai aquela atmosfera carregada de competitividade e egoísmo para dar lugar a um ambiente mais colaborativo e empático.

Fica evidente a importância das deep skills para o desenvolvimento de uma cultura organizacional de sucesso. Aquela capaz de engajar o colaborador, aproveitar melhor suas qualidades, aumentar sua eficiência e, consequentemente, trazer melhores resultados para a empresa.

Enquanto isso, as hard skills são as habilidades profissionais tradicionalmente analisadas. Isso se deve ao fato de a mensuração dessas capacidades ser mais simples, quando comparado com os outros modelos de skills.

Por exemplo, é possível avaliar uma hard skills por meio de diplomas, certificados técnicos e a proficiência em determinada língua estrangeira.

Dessa forma, podemos conceituar as hard skills como as habilidades técnicas de um colaborador. Ou seja, são aquelas aptidões que podem ser aprendidas e ensinadas mais facilmente por meio de treinamentos, cursos, palestras, workshops, etc.

Alguns dos exemplos de hard skills são:

  • Nível de domínio de uma língua estrangeira;
  • Cursos técnicos;
  • Graduação;
  • Pós-Graduação (MBA, Mestrado, Doutorado, etc.);
  • Conhecimento em relação ao funcionamento e operação de máquinas e ferramentas;
  • Domínio de ferramentas digitais.

Por serem habilidades de fácil mensuração e verificação, essas informações podem ser comumente encontradas nos currículos de qualquer candidato a uma vaga. Isso porque, as hard skills compõem os conhecimentos necessários para a realização do trabalho. Sendo que, as próprias descrições das vagas listam as hard skills buscadas pelas empresas.

Anteriormente, o conhecimento técnico era fator imprescindível para a contratação de um colaborador. Entretanto, com a rápida evolução dos conhecimentos e equipamentos, as soft skills passaram a exercer grande influência nos resultados dos processos de contratação.

Isso ocorre porque o perfil dos colaboradores buscados pelas empresas mudou. Hoje, profissionais que consigam atuar em ambientes sob constante pressão ou que precisem trabalhar em ambientes colaborativos são mais interessantes para as empresas do que aqueles que contam apenas com o conhecimento técnico.

Avaliação para soft skills

Enquanto as hard skills são fáceis de serem mensuradas e avaliadas, as soft skills são mais complicadas de serem reconhecidas e quantificadas. Isso porque, elas estão ligadas às habilidades socio-comportamentais. Ou seja, as aptidões mentais e capacidade de lidar com diferentes emoções.

As soft skills não podem ser avaliadas por meio de cursos e certificados. Elas estão ligadas a todas as experiências do colaborador, tanto no lado pessoal, quanto no profissional. Por isso mesmo, esse conjunto de habilidades é mais difícil de ser ensinado e aprendido.

Geralmente, as soft skills são competências deixadas de fora do currículo. Sendo assim, os recrutadores da empresa precisam utilizar as ferramentas adequadas de observação para identificar as soft skills dos candidatos.

Algumas das soft skills são:

  • Proatividade
  • Capacidade de análise
  • Liderança
  • Comunicação interpessoal
  • Capacidade de resolver conflitos
  • Facilidade de trabalhar sob pressão
  • Capacidade de persuasão

Relação entre hard, soft e deep skills

No mercado atual, pode parecer que o conhecimento técnico perdeu importância para as empresas. Na verdade, elas passaram a procurar por perfis profissionais que aliam habilidades técnicas com uma boa capacidade de adaptação e de relacionamento com os colegas.

As habilidades de um colaborador devem estar em constante evolução, seja profissional ou pessoalmente. Assim, as empresas conseguem colaboradores motivados para melhorar e crescer junto com o negócio.

Desse modo, é importante para a empresa encontrar formas de fazer o mapeamento do perfil comportamental pessoal e profissional dos seus colaboradores e apontar o melhor caminho para aprimorar as habilidades deles.

Para saber mais detalhes sobre as diferenças entre hard skills e soft skills, preparamos este material em especial para você. Clique e saiba mais.