Para quem é esforçado e se empenha bastante no trabalho, sem dúvida falar sobre plano de carreira é importante. A maior parte dos profissionais, em especial os mais ambiciosos, mesmo antes de se formar já se preocupam com suas metas ocupacionais. Porém, quando se fala em plano de carreira, podemos pensar em duas vertentes:

A primeira compreende os planos de carreira oferecidos pelas organizações, previamente criados por elas. A outra, os planos pessoais, com as metas que os profissionais desejam atingir com o passar da vida e são traçadas por eles próprios. Confira agora tudo o que você precisa saber tanto sobre planos pessoais quanto sobre os corporativos.

Os planos de carreira corporativos

Os planos de carreira corporativos traçam o caminho a ser percorrido pelo colaborador durante sua vida profissional na organização. Eles determinam as posições hierárquicas, os vencimentos e as competências necessárias para cada cargo.

No entanto, as empresas que estabelecem planos de carreira o fazem para recompensar seus colaboradores pela dedicação e para reter talentos, além de promover o desenvolvimento profissional.

Tipos de planos corporativos

De acordo com cada tipo de organização, há diferentes tipos de planos. Os mais comuns dentro das grandes empresas privadas são os planos em Y e em W. Eles têm essa designação pela semelhança com o desenho da letra.

Na carreira em Y, em certo ponto o profissional pode escolher um de dois caminhos possíveis. Ou se dedica a cargos de gestão ou se especializa na área em que atua. A carreira em W acrescenta mais opções, e isso oferece ao profissional a possibilidade de atuar em mais cargos de liderança.

As empresas e instituições públicas costumam adotar as progressões verticais e horizontais. A evolução horizontal não significa ascensão hierárquica, mas aumenta a responsabilidade quanto às suas tarefas e proporciona maior vencimento. Já a vertical faz o colaborador subir hierarquicamente e, obviamente, seus rendimentos.

Como são implementados

Antes de implementar os programas, as empresas analisam como podem criar programas de carreira que interessem e motivem seus profissionais. Entre as atitudes que as organizações tomam, estão:

  • Redesenhar a estrutura organizacional;
  • Preparar os funcionários para que possam crescer hierarquicamente com treinamentos específicos;
  • Procurar saber entre os funcionários sobre suas metas pessoais por meio de pesquisas de satisfação.

O plano de carreira pessoal

O profissional que aspira cargos cada vez mais altos precisa, para isso, se sentir motivado e útil na organização. Também, precisa se preparar para a sua escalada. Ela não vai acontecer gratuitamente e sem esforço.

Como evoluir dentro dos planos de carreira

Antes de pensar em evoluir, o profissional precisa estimular o autoconhecimento. Existem cursos que promovem essa análise própria. Coaching é uma possibilidade. Técnicas desenvolvidas por esses especialistas têm o objetivo de fazer o profissional se conheça melhor, para que assim possa estabelecer objetivos apropriados.

Em seguida, o profissional precisa entender onde está atualmente. Ele precisa refletir sobre o que realmente quer fazer. Precisa se perguntar se o local em que está atuando e as tarefas que está realizando realmente são aquilo que deseja. Caso essas respostas sejam positivas, então conseguirá galgar posições superiores.

Como evoluir dentro dos planos de carreira

Depois, deve procurar entender a estrutura do plano de carreira da organização. Tem que definir onde quer estar dentro de um prazo determinado. Podem ser três, cinco, dez anos ou o tempo que planejar.

Também, é importante identificar os desafios que podem surgir durante a jornada profissional. Do mesmo modo, é imprescindível traçar metas realistas e se esforçar para alcançá-las. Não se deve tentar atingir todas as metas de uma vez só. Dividir a caminhada em passos curtos pode aumentar a sensação de sucesso.

O profissional precisa ver e ser visto. Se os empregadores e clientes não notarem seu trabalho e a diferença que a sua atuação faz, de pouco adiantará. Tornar o próprio trabalho útil aos colegas e superiores, em especial, vai fazê-lo ser lembrado na hora em que a organização determinar promoções.

Isso se consegue com empenho. Qualificação, educação superior, especializações e treinamentos contribuem para atingir os alvos. Além disso, a rede de contatos de profissionais que trabalham na mesma área pode ajudar. Conversar com esses profissionais pode dar bons resultados.

Mesmo que atue em áreas não relacionadas à tecnologia, quem deseja ascender profissionalmente precisa considerar com seriedade a influência dela. Praticamente todas as funções nas empresas atualmente são afetadas. Para exemplificar, quem trabalha numa carreira administrativa, mexendo com papéis, não pode se esquecer de que, se já não existe, logo haverá um sistema computacional para melhorar o desempenho do seu setor. Se o profissional não acompanhar esta evolução, perderá oportunidades. O profissional deve sempre se lembrar de que dominar idiomas também é necessário e, muitas vezes, cobrado pelos superiores.

Portanto, o colaborador não pode hesitar em sair da zona de conforto. Olhar para as oportunidades fora da organização em que já atua pode ser benéfico. O mercado de trabalho pode oferecer chances mais compatíveis com os objetivos profissionais da pessoa. Assim, talvez ela decida mudar de empresa.

A necessidade de crescer

Não é só o desejo de ganhar um salário maior que deve motivar um funcionário a progredir. O desenvolvimento pessoal também deve ser considerado. Adquirindo maiores responsabilidades, ele se prepara não apenas para a organização, mas para a própria vida.

O profissional se desenvolve intelectualmente, aprende a inovar, aprende a resistir à tendência de se acomodar e passa a perceber que, independentemente do que realiza, profissionalmente ou não, é capaz de buscar o que é melhor, sem medo.

A Habaut, através de uma solução focada em gestão de pessoas, tem uma equipe de especialistas para ajudar a estruturar um bom plano de carreira na sua empresa.

Independente do segmento e tamanho da empresa, detalhar como será o crescimento do profissional é um fator fundamental para melhorar o engajamento.

Além disso, a Habaut conta ainda com ferramentas para acompanhar a cultura organizacional, comportamento e performance, além de um clube de benefícios.

Não sofra sozinho(a)! Entre em contato conosco para mais informações e enriqueça as competências dos colaboradores e, por extensão, da sua empresa.