O mundo corporativo moderno está sofrendo uma epidemia, com a Síndrome do Burnout. Esse é um distúrbio caracterizado pela exaustão extrema, ligada diretamente ao trabalho de uma pessoa. É claro que as condições de trabalho vêm melhorando a cada ano, mas ainda existe um longo caminho até encontrarmos as ideais.

O estresse no trabalho afeta muito a qualidade de vida dos colaboradores, podendo levar até mesmo a problemas de saúde mais sérios, tanto do corpo quanto da mente. Além disso, também causa prejuízos às empresas, com absenteísmos, lesões, doenças e custos com médicos.

Então, se você trabalha no RH de uma empresa e quer evitar esse problema nos seus colegas, confira como uma contratação assertiva pode ajudar a diminuir a síndrome burnout aos novos integrantes.

Porque me preocupar com a Síndrome de Burnout?

O sintoma típico da síndrome de burnout é a sensação de esgotamento físico e emocional que se reflete em atitudes negativas e queda brusca de produtividade. Há casos que se misturam com depressão, o que acaba numa avalanche de estresse mental e esgotamento geral do indivíduo.

Uma relação satisfatória com a atividade de trabalho é fundamental para o desenvolvimento nas diferentes áreas da vida humana e esta relação depende, em grande escala, dos suportes afetivos e sociais que os indivíduos recebem durante seu percurso profissional.

Porque me preocupar com a Síndrome de Burnout

Não há mais dúvidas que toda empresa precisa adentrar no assunto e conferir se as áreas estão precisando de cuidados ou acompanhamentos especiais. Sua empresa, por exemplo, pode fazer parcerias com psicólogos para ajudar nessa jornada.

Pessoas com a mesma cultura reduz a Síndrome do Burnout

Durante muito tempo o foco do RH era apenas nas competências dos colaboradores. Ou seja, suas habilidades técnicas. Agora, sabe-se que a cultura e o fit pessoal são tão, ou mais importantes, do que as habilidades.

A ideia é contratar pessoas que tenham perfis diversificados e que se complementam positivamente. O objetivo é ter um ambiente cheio de ideias, propenso à inovação, com pessoas que se apoiam e criam um ambiente de trabalho positivo.

É uma das tarefas mais difíceis do RH moderno. Existem testes que podem ajudar a identificar o perfil dos entrevistados e o RH também precisa conhecer muito bem o próprio colaborador.

Diminuição do turnover gera mais segurança

Outra ótima consequência de uma contratação assertiva é a diminuição do turnover. Isso beneficia a empresa por diversos motivos.

Primeiro, os colaboradores se sentem mais seguros. Uma pessoa que está entrando agora ou que já é veterana na empresa, vai saber a reputação do negócio em relação a rotatividade. Afinal, os outros colaboradores conversam sobre isso.

O resultado é um aumento na pressão de que ele será mandado embora, ou uma insegurança sobre o ambiente de trabalho que faz com que os outros peçam para sair. De qualquer forma, é mais um grande motivo para estresse.

Além disso, o turnover impede a equipe de realmente se conhecer. Mesmo com toda a ajuda do RH, pode levar um certo tempo para o colaborador estar entrosado com a equipe. Se as trocas são constantes, ele nunca tem tempo para entrar em sintonia com os colegas.

Fazer o colaborador se sentir útil e eficaz

Mais uma forma de evitar o turnover é garantindo que o colaborador se sinta útil. Isso também parte desde o processo de contratação, em que a empresa precisa deixar claro por que a presença daquela pessoa é vital.

Não adianta mostrar para o colaborador que ele é valioso apenas quando ele faz um bom trabalho. Deixar isso claro desde o princípio, é o que vai permitir que ele faça um bom trabalho.

Essas são algumas formas de como uma contratação assertiva ajuda a diminuir a síndrome do burnout em uma empresa. É claro que esse é apenas o primeiro passo, e o RH precisa trabalhar de forma constante para garantir um bom ambiente de trabalho.

Quer conhecer melhor o perfil dos colaboradores da sua empresa e dos candidatos? Então confira o site da Habaut e conheça nossa plataforma inovadora no Brasil!